7 dicas para começar ou profissionalizar as suas aulas particulares

Trabalhar como autônomo envolve riscos. Isso não significa que temos que aceita-los sem fazer nada a respeito. Em minha experiência como professor particular (por cerca de 18 anos), teacher trainer e empreendedor, pude aprender várias formas de mitigar esses riscos. Segue abaixo:

1- Tenha um contrato!

Ter um contrato cria um efeito psicológico interessante. Embora nossos clientes podem simplesmente ignorar as cláusulas, na prática as pessoas precisam de um norte que oficialize as regras e como o contrato tem um formato jurídico, aumentamos drasticamente as chances de evitar certas dores de cabeça. Cláusulas como forma de pagamento, o que acontece em caso de atraso, como serão os cancelamentos das aulas (ou se não for permitido), cria um ambiente mais seguro para ambas as partes. Nesse caso, você pode baixar um modelo de contrato editável e um ebook sobre contratos para aulas particulares. Ambos estão de acordo com a lei de defesa do consumidor e endossado pelo nosso consultor jurídico. Você os encontrará em www.juliovieitas.com.br/downloads.

2-Use uma precificação estratégica.

Para ter as condições necessárias para ter um fundo de reserva para férias e 13º eu descobri através de meus estudos em gestão e a minha experiência em ELT o fundamental é ter uma precificação estratégica.

Culturalmente falando, os clientes tem uma dificuldade em aceitar pagar por um serviço mensal na qual a entrega não é feita em sincronia com a entrega dos serviços, ou seja, as aulas. Falo com muita propriedade aqui pois além de ser professor particular há quase 20 anos, também já fui dono de uma escola de idiomas e sei como um número razoável clientes se comportam quando tem que pagar em meses quando não há aulas. A lógica de comparar a compra de um produto parcelado não é totalmente aceita quando falamos da entrega de um serviço. Especialmente na área da educação com foco em aulas particulares. Nesse caso, sugiro que você precifique o seu valor hora aula levando-se em conta todos os seus custos, remunerações e os insumos para se manter na profissão.

 

Para sermos pragmáticos, digamos que um determinado professor autônomo entenda que o mínimo para ele dar aula seria R$60,00 hora/aula (essa seria a sua remuneração base, também chamado de pro labore). Ainda, apenas para exemplo, esse professor entende que os seguintes atributos abaixo teriam essa configuração em seu pricing:

 

CPD: 10% -R$6,00

 

Marketing: 10% -R$6,00

 

13º salário: 8% R$5,00

 

Férias: 8% R$5,00

 

Seu valor hora aula seria então de R$82,00 e eu arredondaria para R$85,00, alocando os três reais do arredondamento para CPD. Portanto, seu pro labore seria de R$60,00 e os insumos e benefícios seriam de R$25,00, sendo arrecadados aula a aula e sem nenhum risco para a efetivação do seu plano de férias pois a arrecadação do fundo foi feita a priori, e não no momento de tirar férias.

 

Inevitavelmente, dessa forma, você estará criando aula a aula fundos diversificados para investir em seu CPD além de criar as condições necessárias para as suas férias, 13º, etc.

 

Você encontrará uma explicação mais detalhada em http://www.juliovieitas.com.br/2017/05/14/planejamento-financeiro-pricing-e-vendas-desafio-ou-solucao/

 

4 situações que podem te fazer perder dinheiro com aulas particulares!

3- Crie um piso salarial para você.

Ter um recebimento financeiro fixo pode ser quase impossível quando trabalhamos como empreendedores. Porém, devemos evitar oscilações muito altas em nossos ganhos. Para tanto, você deve ter um controle muito rígido sobre as suas vendas e retenção. Isso pode ser feito através de um funil de vendas cuja meta está atrelada a um certo ganho financeiro e um desenho estratégico e acompanhamento do seu marketing, vendas e índices de retenção. Hoje eu tenho lotação total do meu tempo alocado para aulas particulares e faço de tudo para manter meus horários sempre cheios. Você encontrará abaixo um infográfico inspirado em meus estudos em gestão educacional e a minha experiência como profissional do ELT. Eu prefiro ter uma renda variável cuja média está, por exemplo, em 10k com uma variação trimestral de 20% a uma renda fixa de 5k. Ter uma boa gestão do seu teacherpreneurship ajuda muito. Você encontrará vários outros artigos que poderão te ajudar em http://www.juliovieitas.com.br/blog/.

4- Crie condições para a adimplência de seus clientes.

Clientes são seres humanos como nós, que podem ter lapso de memória. Uma ótima forma de lembrá-los dos pagamentos é através de um serviço de boletos. O custo é muito baixo quando levamos em conta:

a) O tempo que ganhamos que deve ser investido em estratégias de captação e relacionamento com o cliente.
b)O stress que evitamos
c) O profissionalismo que agregamos ao nosso serviço.

O custo dos boletos pode ser incorporado ao seu fee educacional pois, como enuncia o ditado, não há almoço grátis. Nunca tive reclamação dos alunos, pelo contrário, só elogios e a minha taxa de adimplência beira os 100% e quando há um atraso sou remunerado por isso através de juros e multas, endossados pelo meu contrato e pelo código de defesa do consumidor. Você encontrará um infográfico com os principais provedores de boletos na nossa sessão de downloads gratuitos.

5- Cancelamentos

Por conta de feriados, sempre busco reagendar as aulas com antecedência e caso não seja possível marcamos a aula de reposição observando a minha agend e a do aluno. Isso tudo é combinado com o cliente quando ele assina o contrato e novamente, nunca tive problemas com isso.

6- Não se sinta só!

Participe dos grupos Brelt, Private Teachers Reloaded, Aulas particulares de idiomas,  Professores e escolas de inglês e Professores de idiomas. Lá você encontrará dicas, suporte e um lugar para você se sentir acolhida. Ser membro do Braz-Tesol e participar dos eventos ajuda muito a não se sentir só. Algo que podemos sentir falta é do convívio com outros professores. Nada irá substituir a sala de professores e todo o convívio humano que lá tínhamos. Porém, há alternativas para nos sentirmos acolhidos e prestativos.

7- CPD

Ser professor particular significa cuidar de vendas, planejamento financeiro, marketing, metodologia, etc. Como não temos ninguém nos orientando, pode-se deixar o CPD de lado. Estude e aloque recursos para o seu CPD nas áreas que você considera mais importante ou urgente.

O que você acredita ser também importante? Escreva nos comentários abaixo 🙂

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *